Torturado y muerto por el Gobierno que ayudamos a instaurar los cubanos

Gabriel Nhemba (Pirilampo), Comandante del FLEC

Cabinda: Pirilampo detido e transferido para Luanda

Cabinda – O Chefe de Estado Maior da FLEC/FAC, Gabriel Nhemba «Pirilampo», foi «raptado» na noite de quarta-feira, 3 de Março, e transferido para Luanda confirmou Nzita Tiago presidente do movimento.

Por diversas vezes «Pirilampo» alertara que estavam em curso operações para a sua captura. Segundo testemunhos, na noite de quarta-feira, 3 de Março, o Chefe de Estado Maior da FLEC/FAC terá sido capturado por forças angolanas em Ponta Negra, capital económica da Republica do Congo.

A detenção de Pirilampo acontece dois dias depois do Chefe de Estado Maior da guerrilha ter comunicado uma operação na estrada que liga Buco Zau a Dinje, localidade de Mulela (Buraco) onde um comando da guerrilha terá sido surpreendido por um veiculo de transporte militar das FAA. «Pirilampo» reconheceu que durante a operação foram mortos três guerrilheiros e reivindicou a morte de um coronel e um tenente coronel das FAA assim como dois outros militares, sargento e primeiro-sargento.

Gabriel Nhemba «Pirilampo» foi nomeado Chefe de Estado Maior da FLEC/FAC por Nzita Tiago logo após a demissão do então vice-presidente do movimento, Alexandre Tati, e do ex CEMG Estanislau Miguel Boma.

Fontes em Luanda indicam que «Pirilampo» terá sido transferido na noite da sua captura para a capital angolana.

Cabinda – Pirilampo foi assassinado e torturado depois de ter sido «raptado» em Ponta Negra, República do Congo, na noite de 2 de Março.

Segundo fontes em Ponta Negra o corpo de Pirilampo, nome de guerra de Gabriel Nhemba, Chefe de Estado Maior da FLEC, está na Casa Mortuária de Ponta Negra. Testemunhos indicaram que o corpo do chefe militar tem sinais de tortura.

O corpo baleado de Pirilampo terá sido encontrado por populares congoleses na aldeia de Tanda na região fronteiriça de Massabi, entre o Congo Brazzaville e Cabinda.

Nzita Tiago, presidente da FLEC, também confirmou à PNN o assassinato do CEM do movimento. «Pirilampo era um combatente desde a sua juventude e hoje é um mártir na luta de libertação», disse líder do movimento cabindês exilado em Paris. «É intolerável aceitar que Luanda rapte um cidadão, amigo dos congoleses, em Ponta Negra no Congo, leva-o para Luanda, enviam-no para Cabinda, onde o assassinam e abandonam o corpo no Congo», disse o líder da FLEC.

Para Nzita Tiago «José Eduardo dos Santos devia privilegiar as negociações pacíficas para a resolução do problema de Cabinda, mas também o Governo português, que conhece bem o problema, deve assumir as suas responsabilidades históricas para evitar que continue o massacre em Cabinda. Para nós cabindas já basta», sublinha Nzita Tiago. «A comunidade internacional não pode continuar a apoiar os actos de terrorismo estatal de Angola» conclui o presidente da FLEC.

(c) PNN Portuguese News Network

2 Respuestas a “Torturado y muerto por el Gobierno que ayudamos a instaurar los cubanos

  1. Reynaldo estrada

    No tiene que ver con Cabinda.
    Viendo el desfile militar en Cuba, pienso “Cuantos fosiles viviendo del pueblo?

    Es increible el daño que le ha hecho a la sociedad cubana esa crapula que ha vivido del cuento……….

  2. só podiam ser as forças democráticas angolanas ou cubanas, é assim que se custuma resolver problemas sem solução.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s